terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Sobre jardins e saudades


Trechos de uma linda crônica de Rubem Alves :

"Eu acho que Deus, ao criar o universo, pensava numa única palavra: Jardim! Jardim é a imagem de beleza, harmonia, amor, felicidade. "

Queria um jardim que falasse. Pois você não sabe que os jardins falam? Quem diz isto é o Guimarães Rosa: "São muitos e milhões de jardins, e todos os jardins se falam. Os pássaros dos ventos do céu - constantes trazem recados.

Você ainda não sabe.
Um dia você terá saudades... Vocês, então, saberão...

" É preciso ter saudades para saber. Somente quem tem saudades entende os recados dos jardins. Não chamei um paisagista porque, por competente que fosse, ele não podia ouvir os recados que eu ouvia. As saudades dele não eram as saudades minhas. Até que ele poderia fazer um jardim mais bonito que o meu. Paisagistas são especialistas em estética: tomam as cores e as formas e constróem cenários com as plantas no espaço exterior. A natureza revela então a sua exuberância num desperdício que transborda em variações que não se esgotam nunca, em perfumes que penetram o corpo por canais invisíveis, em ruídos de fontes ou folhas... O jardim é um agrado no corpo. Nele a natureza se revela amante... E como é bom!

Mas não era bem isto que eu queria. Queria o jardim dos meus sonhos, aquele que existia dentro de mim como saudade. O que eu buscava não era a estética dos espaços de fora; era a poética dos espaços de dentro.

Eu queria fazer ressuscitar o encanto de jardins passados, de felicidades perdidas, de alegrias já idas. Em busca do tempo perdido...

Saudade é a dor que se sente quando se percebe a distância que existe entre o sonho e a realidade. Mais do que isto: é compreender que a felicidade só voltará quando a realidade for transformada pelo sonho, quando o sonho se transformar em realidade. Entendem agora por que um paisagista seria inútil? Para fazer o meu jardim ele teria que ser capaz de sonhar os meus sonhos...

Leia aqui a crônica completa na Casa de Rubem Alves

11 comentários:

Carol Timm disse...

QUerida Mari,

Minha conexão está meio estranha hoje, indo e vindo, mas voltei para ver o lindo post que fez.

O texto é muito bonito e gostei mais ainda porque fala de jardins, um lugar que gosto muito e essa foto ficou linda, dá vontade de entrar e ficar entre as flores.

Beijos,
Carol

Irmão Sol, Irmã Lua disse...

Oi Mari,
Lindo texto, concordo com o Rubem, o mais gostoso no jardim não é você admirá-lo, mas sim construí-lo, mesmo que devagar e com ajuda. O bom é você ir vendo se formando aquilo que você idealizou.
Que belíssima definição de saudade: "Saudade é a dor que se sente quando se percebe a distância que existe entre o sonho e a realidade". Creio que trago essa saudade no peito.
Carinho sempre,
Benjamin.

Eternessências disse...

Buscar "a poética dos espaços de dentro" é fundamental na vida; é o que tenho procurado recuperar em mim, em especial, nestes últimos tempos. Quem sabe assim vão brotando jardins?...
Um beijo, "Mari"!
Carinho,
Rose.

Ela disse...

Eu gosto, de jardins.. lua em jardins... sudade pouca , que não dói muito. E de você também!

Edson Marques disse...

Rubem Alves é sempre muito bom!


Agradeço pelo teu comentário sobre o desastre.

Abraços, flores, estrelas..

Karina disse...

Mari, sou fascinada pelos textos do Rubem Alves. Esse trouxe-me doces lembranças da infância, como qdo vejo alguma planta que fazia parte dos jardins das minhas avós, tias ou mesmo da minha cidade.

Os enjôos melhoraram, a moleza vem e vai. rs. Mas estou muito bem, graças a Deus. Amanhã vou ao médico iniciar o acompanhamento. :D

Bjks carinhosas e um lindo final de semana pra vc.

Carol Timm disse...

Mari,

Toda vez que entro aqui lembro do jardim da casa da Dinda Zuzu... e suas rosas, margaridas, copos de leite, amores-prefeitos...

Dá uma saudade... tão suave...

Beijos e bnom final de semana para nós!
Carol

Andrea disse...

Oi Mari!

Todos nós temos o nosso jardim secreto, formado pelas experiências vividas. Este post me levou de volta a um lugar onde fui muito feliz.
Obrigada por me fazer descobrir o caminho p/ este jardim.
Mil bjs,
Andréa.

Sheila disse...

Prima querida!!!! Estou voltando, discretamente, à blogosfera. Sumida do mundo virtual, mas MUITO feliz, como vc já sabe!

Bom, amei o texto do Rubem Alves...Já conhecia alguns dele, mas esse é novo para mim...Lindo, suave e cheio de bons sentimentos...Assim como vc!

Beijos saudosos!!!

casualeblog disse...

Imagina andar por este jardim...
Fiquei com vontade de ler mais, vou lá!
Beijos, beijos...

Mônica disse...

eu queria voltar a sonhar. tenho a sensação que perdi essa capacidade ao pisar na dueza do presente.
bjs