quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Liberdade



Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade.

Sophia de Mello Breyner Andresen

9 comentários:

Eternessências disse...

"Mari" querida!
Obrigada por sua ternura de sempre!
A viagem foi realmente uma pausa necessária ao coração e à mente um tanto cansada...
Mas estar de volta é muito bom...
O pior é desfazer as malas,separar as roupas para lavar, reorganizar a bagunça, etc.e tal... :)
Beijo de carinho!
Rose.

Ela disse...

acho que era bem isso que eu queria hoje... a paz de uma praia deserta.
Paz...

Bom final de semana.

Eternessências disse...

"Mari",
tem MEME pra você lá no meu blog!
Passa lá!
Beijo!
Rose.

Carol Timm disse...

Mari,

A Sophia é uma das minhas poetisas favoritas.

Esse poema é lindo...

Beijos,
Carol

Rogério Felício disse...

Tempo e liberdade...coisas que preciso!

Karina disse...

Ouvir o barulho das ondas, sentindo o vento acariciando de leve nosso rosto dão realmente uma sensação única de liberdade.
Não conhecia essa poetisa, foi muito bom encontrar essa dica no seu blog.

Bjks Mari!!!

Denise disse...

Oi Mari.
Vim dar uma olhadinha.
Está lindo! Parabéns!
Sempre q quiser, tb visite o meu. Será um prazer.
Bjuuusss
(denisebastos.blogspot.com)

Edson Marques disse...

Mari,

Aqui no teu blog, o Tempo, também, encontra a sua própria Liberdade.


Belíssimo poema!



Abraços, flores, estrelas..

david santos disse...

No dia 17 deste Mês, vamos todos mostrar nossa solidariedade com Flavia.
Jamais te falte saúde.