quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Sobre borboletas





PASSA UMA BORBOLETA

(do "Guardador de Rebanhos" - Alberto Caeiro)


Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

***************************************************************


Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses
Rubem Alves


Borboletas fazem pensar em beleza e liberdade!
Desde pequena sou fascinada por elas, costumava observa-las no jardim do colégio das irmãs salesianas :as suas cores, o voo rápido , o pouso aqui e ali que mais lembrava um balé cuidadosamente ensaiado.

Até hoje quando leio o inicio do texto que diz não corra atrás das borboletas, sorrio e lembro de uma das minhas brincadeiras de criança que era justamente correr alegremente atrás das borboletas amarelas....

Liberdade, sol, cor, felicidade, beleza,inocência, sonhos , transformação , esperança tudo isso passa rápido pelos meus pensamentos cada vez que admiro uma linda borboleta!







12 comentários:

Hay disse...

Mari,
Esse poema é um dos mais belos que Fernando Pessoa escreveu, na verdade fica difícil escolher entre todos os versos qual é o mais lindo...

Lembro um de Quintana, que diz:
O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.

E fico pensando se naquele outro, também de Quintana:
Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam...
tivesse escrito:
Os poemas são borboletas que chegam
não se sabe de onde e pousam no livro que lês...
Esqueça, besteira!

Para mim a borboleta sempre se identificou com a beleza e a inevitável fragilidade da vida.

Beijos
Com Carinho
Hay

PS. Qto a ser fotógrafo, sim, continuo, hoje em dia fazendo parte da minha vida profissional.

Mi disse...

Amo Pessoa!!!!!!

Que bom que vc passou lá no meu mundinho e gostou! Viu, nossas borboletas foram total sincronicidade! Talvez tínhamos que ler um pouco uma da outra por algum motivo!
Vou te linkar tá! Assim volto sempre!
Beijos

Sabrina disse...

Borboletas representam a transformação... a natureza sempre encontra um jeitinho de nos ensinar com sua sabedoria!!

Julia disse...

Adorei a frase do Rubem Alves. Todo mundo precisa de metamorfoses...

bjs,
Julia

Cátia disse...

As metamorfoses nos fazem bem.
Adoro o colorido das borboletas que me lembram primavera.

E aqui é sempre bom de estar.

Rogério Felício disse...

Isso é lindo...me faz viajar...
Parabéns!

adelaide amorim disse...

As borboletas são mesmo fontes de inspiração, Marilac. E FP era tão inspirado que precisou de muitas personas pra tradzir sua poesia. Ficou bonito, seu post. Um beijo e obrigada, volte sempre.

Eternessências disse...

Oi, "Mari"!(Posso chamá-la assim?)
Gostei muito de sua visita também!
"Curvo-me agradecida"!...
Tenho visitado seu "canto" cheio de sentimentos,enfeitando as palavras. Como pôde ver, já está adicionado como "essência"...Até postei um poema do Torga que encontrei por aqui!...
Como você, também admiro as borboletas em vôo...
Acredito que
BORBOLETAS SOBREVOANDO JARDINS SÃO A COMPROVAÇÃO DE QUE A LEVEZA É POSSÍVEL e TRANSCENDER É O NOSSO DESTINO!...
A gente se fala mais!
Carinho e muita Luz nesse nosso início de conversa!
Rose

Hay disse...

Mari,
Agradeço os belos comentários. Na verdade já havia me passado pela cabeça que poderia ter escrito algo de errado, pelo fato de não comentar mais. Mas aí a surpresa gostosa.
Seus Bilhetinhos, como borboletas, pousaram no meu blog. Obrigado!

«Poemas são também presentes — presentes aos atentos. Presentes que levam consigo um destino.» (Paul Celan)

Beijos
Com Carinho
Hay

Edson Marques disse...

Borboletas: adoro-as!

Quando meus professores (na infância) nos mandavam caçar borboletas, eu sempre me recusei. Preferia vê-las bailando...


Abraços, flores, estrelas..

Hay disse...

Querida Mari,

Saudades... eu sei a sua cor, era azul, até achar esse belo poema de Pablo Neruda, e como você mesma concorda, o mais belo verso, sem sombra de dúvida é:

“...Dizem que as montanhas são azuis como ela,
que nela empalidecem longínquos amores,
e um nobre e bom amigo meu (e das estrelas)
nomeia com os cílios e as mãos em tremores. ...”

Que bela forma de descrever o azul distante de uma saudade.

Ele tem um outro poema, que termina assim:
“... Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.”

Eu entendo você muito bem, eu ainda sinto saudades, de algo que sei já não existir mais. E me pego pensando em você, como deve ser difícil essa separação tão distante, onde só a luz do farol da saudade sabe iluminar.

Beijos
Com Carinho
Hay

Eternessências disse...

Mari
Obrigada pelo carinho que tem espalhado no meu blog! Saiba que eu busco capturá-lo com o máximo de minha emoção!
Suas visitas e seus olhares poéticos muito me alegram!
É muito bom saber que o que postamos faz bem... faz luz...
Beijos de carinho!
Rose