sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Afinidade

Foto do filme " A cor do paraíso"

A Afinidade é um dos poucos sentimentos que resistem ao tempo e ao depois.
A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil, delicado e penetrante dos sentimentos.
É o mais independente também.

Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos, as distâncias, as impossibilidades.
Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto no exato ponto em que foi.
Ter afinidade é muito raro.

Mas, quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar.
Existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois que as pessoas deixaram de estar juntas.
Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos fatos
que impressionam, comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavras.
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Afinidade é sentir com,
Não é sentir contra,
Nem sentir para,
Nem sentir por,
Nem sentir pelo.

Quanta gente ama loucamente,
mas sente contra o ser amado.
Quantos amam e sentem para o ser amado, não para eles próprios.
Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo.

É olhar e perceber.

É mais calar do que falar,ou, quando é falar, jamais explicar: apenas afirmar..
Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças.

É conversar no silêncio, tanto nas possibilidades exercidas quanto das impossibilidades.
Afinidade é retomar a relação no ponto em que parou sem lamentar o tempo de separação.
Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas oportunidades dadas (tiradas) pela vida.
para que a maturação comum pudesse se dar.
E para que cada pessoa pudesse e possa ser,cada vez mais a expressão do outro
sob a forma ampliada do eu individual aprimorado

(Artur da Távola)
******************************************************************

Recebi este texto de um amigo muito querido a alguns anos e desde a primeira vez que o li fiquei encantada sobre o mistério da afinidade.
Esse sentimento presente na amizade.
Intenso e imprescindivel no amor, e que atua até mesmo entre quem nem se conhece pessoalmente.
A vida é um milagre e um mistério!!!
Que bom irmos descobrindo afinidades ...Não foi por acaso que nos encontramos.

Obrigada por preencherem minha vida de luz, amor, gentilezas, poesia e paz!

8 comentários:

Manuel Ramos disse...

Viver com é o mais importante da vida. Não viver contra, viver sem, viver para ou porque sim....
mas viver com.
Um pouco como a expressão "companheiro", que com-partilha os momentos de uma vida ou que, numa tradução literal, partilha o mesmo pão.
Companheiro é o que partilha o pão da vida connosco.
é o que tem a afinidade de partilhar o pão material, o pão espiritual, as dificuldades e tudo
na vida.
Obrigado Marilac pela nossa afinidade, por seres a minha companheira, pela cumplicidade que partilhamos a cada momento.

beijos

Manuel

Saramar disse...

Marilac, este é um dos mais bonitos textos do Artur da Távola (na minha opinião, claro).
Sempre gosto de reler e tentar colocar em prática essas ternuras com todas as pessoas.
Não sei se consigo, não sou anjo.
Porém, imagine se todos os seres pensassem pelo menos na afinidade que pode ser construída?

beijos, bom final de semana.
P.S. Obrigada.

Cátia disse...

O texto é um espetáculo. A afinidade ´´e sim o primeiro passo , para todo e qualquer envolvimento. Seja de amizade, companheirismo ... amor...
Ou exatamente tudo junto.
Quando a gente sente empatia que a prima irmã da afinidade, com certeza grandes amizades brotam.
Lrgal mesmo é nem saber quem é vc , e ainda assim sentir-me extremamente afinada contigo.

Bom final de semana!

Hay disse...

Mari,
Maravilhoso texto. Essa coisa chamada afinidade sabemos o que seja, mas qtas vezes nos faltam palavras para explicar, Artur as encontrou. Da forma mais precisa possível.
Quantas vezes achamos que temos afinidade com alguém, depois de anos afastados encontramos a mesma pessoa e de alguma forma queremos que aquele sentimento volte, não falo em amor, mas sim afinidade - mas não existe mais. Essa foi uma afinidade temporária.
Mas a verdadadeira, como escreve, é atemporal.
Essa é a parte mais linda desse sentimento tão estranho, e as vezes tão longíquo...

Tudo se vai
o tempo
a vida
as pessoas
mas sempre algo fica
a sensação
de ter visto
sentido
e vivido

Por isso
nunca se perca
seja ao maximo
a cada momento
sem os outros magoar
porque o que importa
é a sensação do momento
que fica registrado
e marcado
dentro de seu coração.

Beijos
Com Carinho
Hay

Carol Timm disse...

Marilac,

Que belo texto!!

Realmente afinidade não se explica. A gente simplesmente sente!

Por isso a internet é tão mágica, não há explicação´para os nossos encontros virtuais serem tão enriquecedores, né?

Beijos,
Carol

Carol disse...

Lindo texto realmente!

belo blog.


beijos

Outras memórias disse...

Esse texto é muito precioso....Bom revê-lo.!!

Denise Ribeiro disse...

Olá, desculpe a invasão. Mas queria saber uma coisa. Como faço pra conseguir pôr pra q se faça comentário no meu blog?
Já tentei e não consigo. Poderia me dar essa informação?
Se quiser, dê uma passadinha lá no meu...denisebastos.blogspot.com
Desde já agradeço.
Ah! Se puder me enviar a resposta, mande para o e-mail:denisebeiro@gmail.com
Um abraço e desculpe-me mais uma vez.