terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Aprendendo a voar


“Um filhote de pássaro sabe quando pode voar.
Havia alguns ninhos perto de nós, quando tomamos o café da manhã, hoje, e vimos várias pequenas famílias se lançarem ao vôo.
Esses pequenos seres jamais cometem um erro.
Eles se mantêm no bando até saberem que podem voar, e então voam.
Penso que, de um modo ou de outro, interiormente, uma pessoa também sabe o equivalente a isso.”

(Trecho do Livro 'O Poder do Mito' – Joseph Campbell)

15 comentários:

Eternessências disse...

As aves sabem que são destinadas ao vôo, por isso abrem suas asas quando estão prontas.
Nós, os humanos, hipertrofiamos nosso orgulho,atrofiando, assim, a capacidade de voar de nossa alma...
Equilíbrio é o segredo do vôo...
Procuremos aprender com os pássaros...
Beijo de ternura, "Mari"!
Rose.

Paulo disse...

O problema é que as aves sabem para o que são destinadas e nada as afasta dessa vocação, já nós humanos, se calhar no inicio sabemos qual a nossa vocação (lá no fundo), mas com o andar da vida, vamos sendo moldados para outras vocações e esquecemo-nos da original. Enfim, o ser humano é um bicho muito complicado.

Ela disse...

Eu lembrei agora com este seu maravilhoso post, da música águia pequena:

Tu me fizeste uma de tuas criaturas...com ânsia de voar... Águia pequena quee nasceu para as alturas...

Eu gosto de voar em bando, e você?

Edna Battaglini disse...

Lembra do poema de Bilac, no qual foi motivo para que fizessemos contato (foi no blog da Carol), pois bem,hj o dedico tb a vc, abraços.

Mel disse...

Será que sabemos mesmo? Penso que às vezes não sabemos que já podemos... Talvez seja esse o meu caso!

Beijos, Marilac.
Mel

Espaço de encontro disse...

Marilac,

"Fernão Capelo Gaivota passou o resto dos seus dias sozinho,mas vou muito além dos longínquos telhados.
A sua única magoa não era a solidão - era perceber que as outras gaivotas se negavam a acreditar na glória de voar, que se recusavam a abrir os olhos e ver"

Richard Bach, in Fernão Capelo Gaivota.

Voar não chega, é preciso acreditar e aceitar os nossos próprios desafios.
um bj grande

Ana

Margarete disse...

Olá Marilac, vim lhe retribuir a visita e dizer-lhe que és sempre bem vina no Pérolas das Flores.
Voar as vezes dá medo, né?!!

Margarete disse...

Olá Marilac, vim lhe retribuir a visita e dizer-lhe que és sempre bem vina no Pérolas das Flores.
Voar as vezes dá medo, né?!!

Sydnei Melo disse...

Ah, Marilac... não sei não hein...

Acho que o homem até abusa um pouco de si próprio. Da própria vontade de quebrar seus limites.

Mas de vez em quado... isso é bom...

bjos

Célia disse...

Ola Marilac, tudo bem ?
entrei aqui e comecei a ler, e vi que os filhotes seguem ao seu caminho porque não são mimados como ao seres humanos, eu aqui com mais de 40 anos ainda não aprendi a voar, cai em uma gaiola e fiquei.
Um abraço a você.
Célia

Irmão Sol, Irmã Lua disse...

Mari,
Aprendi que a alma humana foi feita para voar e, para esse vôo ser divino, nos é necessário saber equilibrar as duas asas, a do AMOR e a da SABEDORIA.
Grato por seu carinho!!!
Abraço terno,
Benjamin.

Carol Timm disse...

Querida Mari,

Acho que aprendemos a voar quando encontramos o destino certo de nossas vidas.

E qual é o destino certo. O que é apontado pelo coração.

Bons ventos sempre me trazem aqui...

Beijos,
Carol

Edson Marques disse...

Saber voar é um dom.

Mas que pode ser aperfeiçoado.


Joseph Campebell é ótimo. Se puder, leia também "O Herói de mil faces".

Gostei do teu comentário deixado no blog Mude.


Abraços, flores, estrelas..

Nanda disse...

E como diz minha mãe, se não sabe, aprende 'na marra'...rs - Beijos e ótimo carnaval!

Karina disse...

Li uma vez sobre a história da água que empurra os filhotes do penhasco qdo chega o momento de aprenderem a voar. Acho que nascemos com esse instindo de nos lançarmos, mas os tombos vão nos tornando medrosos. Por isso é importante lembrar a necessidade de nos colocarmos à prova, sentir nossa capacidade de entrega, de noa lançar a novos caminhos, desafios e pq não, novos vôos.
Bjks carinhosas.